Servidor há 42 anos, seu Sardinha comemora longevidade na Prefeitura

Segunda, 28 de Outubro de 2019 - 09:48

As mãos calejadas pelo trabalho com as mesmas ferramentas há décadas não impedem que Osvaldo Benedito Del Passo, de 71 anos, abra um largo sorriso no rosto quando fala sobre seu ofício de tapeceiro, desempenhado há 42 anos na Prefeitura de Guarulhos.


Seu "Sardinha", como é conhecido no Departamento de Transportes Internos (DTI), utiliza as peças com maestria e não nega que é bom no que faz. "Eu adoro trabalhar na minha ocupação. Quando vem carro aqui, sou eu que cuido. Chego a reformar oito veículos em um mês", celebra Sardinha, que exerce a função de agente de manutenção de automotores.


Apesar da destreza na função, adquirida com a experiência, o colaborador da carteira funcional nº 3.320 da administração municipal, conquistada em 1977, pondera que os amigos de profissão o ajudaram no início de sua jornada na área. "Eu fiz um cursinho básico e depois aprendi na prática, observando os meus colegas", afirma.


Nascido em 1948 no pequeno distrito de Martim Francisco, em Mogi Mirim, (município da região leste do estado), ele trabalhou na roça até os 19 anos, quando viu em Guarulhos a oportunidade de mudar de vida. "O início não foi fácil. Passei muita fome quando cheguei. Pra não deixar que faltasse alimento às crianças, tive que vender meus móveis e fiquei com um colchãozinho. Morava na avenida Suplicy e pagava aluguel", diz emocionado.


Ainda com lágrimas nos olhos, o funcionário salienta que, em Guarulhos, conheceu o amor da sua vida, com quem teve três filhos. "Me casei em 1977, mesmo ano que ingressei na Prefeitura. Estou com minha esposa até hoje e temos um neto também. Depois da fase difícil, fomos comprando novos móveis e demos dignidade à família. Hoje estão todos criados e estudados", conta.


Osvaldo comemora com saúde a longevidade no cargo e se alegra ao recordar a transformação que o posto na administração municipal causou em sua vida. "Estou no DTI há quatro décadas, desde que a sede era na Salgado Filho. Depois viemos para o Taboão e só tinha rio e mato. Entrava rato que parecia coelho de tão grande. Hoje temos uma boa estrutura. O trabalho de tapeceiro permitiu que não faltasse comida em casa e escola às crianças", relata. 


Por fim, o servidor exalta os amigos trabalhadores e fala sobre os funcionários da Prefeitura de Guarulhos. "Nunca tive o menor problema. Eu tenho enorme respeito e consideração por todos os meus colegas servidores", conclui Sardinha.

Texto e imagens: Lucas Canosa